Unidade Campinas: (19) 2515-3600 | Unidade Vinhedo: (19) 3876-1494 | Unidade Sorocaba: (15) 3357-6329

Antes de mais nada é preciso esclarecer que os testes alérgicos, ao contrário do que muitos acreditam não são indicados para estabelecer o diagnóstico de dermatite atópica. Isso porque, os testes alérgicos são baseados na detecção de anticorpos da classe IgE, que também podem estar aumentados em animais saudáveis, resultando em testes alérgicos positivos mesmo em em cães que não possuem dermatite atópica.

A dermatite atópica é um doença complexa e seu diagnóstico é baseado na presença de um histórico clínico característico de atopia, na apresentação lesional típica da doença, no preenchimento dos critérios de alergia existentes, na exclusão de outras dermatopatias que causam coceira e exclusão de outras doenças alérgicas como a hipersensibilidade a picada de inseto e, principalmente, a alergia alimentar (clique aqui para saber mais sobre a alergia alimentar), que deve ser excluída adequadamente antes do diagnóstico de dermatite atópica. ( Para mais informações sobre a dermatite atópica, clique aqui)

 

Quando o teste alérgico é recomendado?

Os testes alérgicos são recomendados somente para animais onde o diagnóstico de dermatite atópica já foi estabelecido conforme os critérios descritos acima, com duas finalidades:

A primeira finalidade é conhecer os alérgenos aos quais o animal desenvolveu alergia, a fim de orientar medidas  para se evitar, ou no mínimo, diminuir a exposição à estas fontes de alergia.

A segunda finalidade é selecionar os alérgenos  que o animal apresenta hipersensibilidade para elaborar uma vacina específica contra a alergia do animal, chamada imunoterapia alergoespecífica. A imunoterapia é uma modalide de tratamento a médio longo prazo, que permite em muitos casos amenizar os sintomas de alergia e em uma parcela de animais até promover a cura da alergia, por ser capaz de promover uma desensibilização aos alérgenos que o animal desenvolveu alergia.

 

Tipos de testes alérgicos para cães

Existem atualmente dois testes alérgicos que podem ser realizados em cães com dermatite atópica, o teste sorológico e o teste intradérmico. Apesar de possuírem  características diferentes, os resultados obtidos com a imunoterapia são semelhantes indepentemente de qual teste alérgico se utiliza.

 

Quais as diferenças entre o teste alérgico intradérmico e sorológico

O teste alérgico intradérmico baseia-se na aplicação direta na pele de susbtâncias indutora  de alergia, por meio de injeções intradérmicas. Este teste permite avaliar se o animal apresenta moléculas do anticorpo IgE aderidas na superfície de mastócitos sensibilizados na pele.  O teste sorológico por sua vez,  detecta a presença de moléculas do anticorpo IgE no sangue.

Ambos os testes apresentam vantagens e desvantagens, que devem ser avaliadas  juntamente com o histórico do animal para a escolha de qual teste possa ser empregado, e são descritas no quadro abaixo:

  Teste sorológico Teste intradérmico
Idade mínima 1 ano 1 ano
Interferência de medicações Não Sim
Sensibilidade Alta Baixa
Especificidade Baixa Alta
Facilidade Fácil de ser executado Execução complexa – experiência
Sedação Não As vezes

 

Atualmente, o teste intradérmico é considerado como o teste ouro, padrão, isso porque permite avaliar as reações que estão acontecendo diretamente na pele, órgão alvo da alergia. Por isso, o teste intradérmico, é considerado um teste bastante específico (valor preditivo positivo alto), entretanto, é um teste pouco sensível, isso significa que animais alérgicos podem apresentar teste intradérmico negativos. Ou seja, podemos confiar nos resultados positivos, mas os resultados negativos podem ser na verdade falsos negativos.

Em contrapartida, os testes sorológicos são conhecidos por serem bastantes sensíveis, porém são pouco específicos, isso significa que nem toda reação positiva é realmente relevante no quadro alérgico que o animal tem. Algumas das reações positivas no teste sorológico podem ser na verdade falso positivas. Entretanto, por ser um teste bastante sensível podemos confiar que os resultados negativos são negativos de verdade.

 

Intradérmico ou sorolórico? Por qual teste optar?

Diante destas características dos testes, o ideal é, quando possível associá-los, principalmente quando o objetivo for a elaboração de uma vacina alergo-específica.

Primeiramente, realizamos o teste intradérmico, se este se revelar positivo, é possível elaborar a imunoterapia alergoespecífica, quando este entretanto, apresentar-se negativo, podemos realizar o teste sorológico e avaliar os resultados positivos de acordo com a história clínica de exposição a possíveis alérgenos do animal, a fim de se identificar quais realmente podem ser relevantes.

 

Exceções no teste alérgico?!?

É importante ainda ressaltar que uma pequena parcela de cães (5%) podem ser negativos tanto no teste sorológico quanto no intradérmico, o que pode ocorrer por dois motivos. Primeiro, o animal pode ter quadro de dermatite atopica-símile (intrínseca), onde os mecanismos da doença envolvem outros fatores além da produção de anticorpos da classe IgE. Segundo, o animal pode ser alérgico a alérgenos não contemplados na bateria do teste, ou erros inerentes ao próprio teste.

 

Leia também:

Camila Domingues de Oliveira

Autora do texto:

Profa. Mestre Camila Domingues de Oliveira

 

 

Se você e seu veterinário decidirem que chegou a hora do seu pet ser submetido a um exame ou atendimento especializado, lembrem-se que vocês podem contar com os profissionais da VESP. Podem nos procurar para a realização apenas de exames ou para o atendimento especializado em dermatologia veterinária ou outras especialidades.

Agende uma consulta ou exameEncaminhe um paciente

 

 

Outros artigos sobre Dermatologia Veterinária:

Dermatite Psicogênica Felina

A alopecia psicogênica é um distúrbio comportamental que se manifesta através do arrancamento ou lambedura dos pelos, provocada por toalete (grooming) excessiva ou inadequada. Cuidados excessivos de toalete fora de contexto pode ser um...

Sarna Demodécica

A sarna demodécica, também conhecida como demodicidose ou sarna negra, é uma doença parasitária causada pela proliferação excessiva de ácaros do gênero Demodex sp na pele. Este ácaro é considerado como parte da microbiota cutânea, ou seja, todos os cães os possuem em...

Combatendo a Inimiga Pulga

O que são as pulgas? As pulgas são pequenos insetos que parasitam cães, gatos, além de outros animais. Existem várias espécies de pulgas, mas Ctenocephalides felis felis, Ctenocophalides canis e Pulex spp são as espécies de maior importância em cães e gatos,...

Dermatofitose em Cães e Gatos

Dermatofitoses são micoses superficiais que acometem os animais domésticos como cães, gatos, coelhos, equinos, ruminantes e mais uma variedade de animais. São causadas por fungos chamados dermatófitos, que são fungos queratinofílicos, que...

Piodermite em cães

Piodermite, também chamada foliculite bacteriana, é uma dermatite causada por bactérias do gênero Staphylococcus, sendo que dentre este grupo, a bactéria mais frequentemente associada aos quadros de piodermite é a Staphylococcus...

Entendendo a alergia (hipersensibilidade) alimentar em cães e gatos

A alergia alimentar é uma reação adversa a alimento de ordem imunológica, ou seja, ela ocorre devido a uma reação inadequada do sistema imunológico frente a um tipo de alimento e que se manifesta através de sintomas gástricos e principalmente cutâneos. Alergia...

Alergia em cães: o meu cão é alérgico a que?

A dermatite atópica ou alergia a inalantes ambientais é uma doença de ordem genética, que provoca inflamação na pele e coceira constante, de variados graus de intensidade, que não só prejudica a qualidade de vida dos animais como incomoda...

Alergias: Quando o cão não para de se coçar…

Uma das principais causas de coceira nos cães e nos gatos são os processos alérgicos, que são responsáveis por mais de 70% do atendimento dermatológico. Além dos processos alérgicos, outras doenças de pele podem desencadear coceira, como...

Cuidando da Pele do seu Animal

Banhos e Demais Cuidados para manter a saúde da pele Neste post vamos dar algumas dicas para ajudar a manter a pele do seu animal sempre saudável: 1. Controlando pulgas e carrapatos: Pulgas e carrapatos além de serem transmissores de...