Unidade Campinas: (19) 2515-3600 | Unidade Vinhedo: (19) 3876-1494 | Unidade Sorocaba: (15) 3357-6329

Odontologia Veterinária

A saúde começa pela boca! Cuidar adequadamente da saúde oral promove bem-estar, qualidade de vida e longevidade a seu melhor amigo.

Na VESP Especialidades Veterinárias temos atendimento odontológico especializado para cães, gatos, animais silvestres e pets exóticos.

Aqui você vai saber mais sobre:

barra vesp

Serviços em odontologia veterinária

Exame odontológico

O primeiro passo para o exame odontológico é a avaliação da boca e face com o animal acordado. Mesmo nos animais mais dóceis, este exame não é completo, e a sedação ou anestesia do paciente pode ser necessária para o exame minucioso da cavidade oral. Desta maneira, pode-se avaliar a região da garganta, debaixo da língua e cada dente individualmente, através da sondagem periodontal. Além disso, o exame radiográfico intra-oral faz parte do exame odontológico de rotina, sendo fundamental para identificar lesões que não podem ser observadas a olho nu, além do acompanhamento de tratamentos (como de canal).

Avaliação pré-operatória e anestesia

Qualquer procedimento odontológico requer anestesia geral do paciente, para segurança do animal e da equipe. O uso de anestesia local apenas ou de leve sedação não permite a realização de um exame ou tratamento eficaz da cavidade oral.
Na VESP Especialidades Veterinárias utilizamos a anestesia inalatória, que consiste na modalidade mais segura para o paciente. O animal permanece durante todo o procedimento respirando o anestésico inalatório junto com oxigênio. A recuperação da anestesia é muito mais rápida e tranquila.
Durante todo o procedimento até total recuperação do animal, o anestesista acompanha e assiste o paciente com monitores cardio-respiratório e de pressão arterial.

Tratamento periodontal

O tratamento periodontal é o procedimento odontológico mais frequentemente realizado em cães e gatos. Consiste na remoção da placa bacteriana e do cálculo dentário (tártaro), que se acumula sobre os dentes e especialmente dentro do sulco gengival. O cálculo deve ser removido por meio de instrumentos cirúrgicos apropriados, como ultra-som dental e curetas. Devido à progressão da doença periodontal, alguns casos requerem raspagens profundas, das raízes dentárias, retalhos gengivais, até mesmo enxerto ósseo e extrações dentárias. Após a raspagem dental, é fundamental que seja efetuado o polimento dentário.

Extração dentária

A extração dentária representa um dos procedimentos mais realizados na odontologia veterinária. As principais indicações incluem a doença periodontal avançada, dentes de leite persistentes, fraturas dentárias, lesão de reabsorção dentária e complexo gengivite-estomatite-faringite.
A extração dentária feita seguindo os padrões preconizados pela área odontológica, dependendo do caso, pode não ser um procedimento tão simples. Muitas vezes o dente pode apresentar reabsorção da raiz, anquilose, que demandam conhecimento técnico para remoção adequada do dente. A radiografia intra-oral constitui ferramenta essencial na extração dentária.

Radiografia odontológica intra-oral digital

A radiografia intra-oral faz parte do exame odontológico e é fundamental durante os mais diversos tratamentos, seja um tratamento periodontal, de canal ou correção de fratura mandibular.
Um dente aparentemente saudável pode apresentar lesões na região da raiz, que só poderão ser identificados por meio da radiografia.
O exame radiográfico é realizado com o paciente sob anestesia, durante o exame detalhado e o tratamento odontológico. Este exame pode identificar a presença dos dentes permanentes antes de sua erupção, em filhotes, importante em animais que farão parte de exposições e futuros reprodutores.

Tratamento de canal

As fraturas dentárias são as principais indicações para o tratamento endodôntico. A maioria dos traumas nos dentes dos animais geralmente evolui para necrose da polpa (tecido vivo do dente) e a modalidade mais comum de tratamento de canal consiste no esvaziamento da porção interna do dente higienização do canal e obturação com material endodôntico. O dente é então restaurado, geralmente para fechamento da abertura cirúrgica do dente. É possível fazer restaurações sobre o dente fraturado, com próteses dentárias, geralmente metálicas ou metalo-cerâmicas.

Restauração, prótese e implante dentários

É possível realizar a restauração da dentição do animal ou a substituição de dentes ausentes ou extraídos, permitindo que o pet mantenha a dentição completa e a mordedura adequada.

Aparelhos ortodônticos

São utilizados para fazer o alinhamento dos dentes quando eles se desenvolvem com uma má formação. Servem para corrigir a posição dos dentes para fins estéticos e funcionais.

Cirurgia bucomaxilar (fraturas maxilares, neoplasias orais, palato, glândulas salivares)

Orientação especializada sobre escovação dental

Orientação especializada sobre escovação dental cachorro gato odontologia veterinária

A melhor maneira de prevenir a gengivite e o mau hálito é escovar os dentes do seu pet diariamente.
A escovação deve ser feita com auxílio de escovas e pastas dentais para animais, facilmente encontradas em estabelecimentos voltados ao mundo pet.
Além da escovação promover saúde ao seu animal, o contato diário permite que você ajude na identificação de qualquer sinal diferente na boca dele, logo no início. Além disso, o vínculo entre vocês torna o relacionamento muito mais especial.
Você pode agendar conosco para receber orientação especializada sobre este indispensável procedimento.

Odontologia de animais silvestres e pets exóticos

Odontologia de animais silvestres e pets exóticos

 

As doenças comumente observadas em cães e gatos também podem ser encontradas em outras espécies, em maior ou menor proporção. Fraturas e desgastes dentários são frequentemente diagnosticados, especialmente em animais de cativeiro, que podem morder grades e gaiolas, ainda mais em situações de estresse.

Agende uma consultaEncaminhe um paciente

barra vesp

Principais doenças orais

Doença Periodontal

A doença periodontal acomete 8 em cada 10 cães e gatos adultos. É causada pela placa bacteriana, que se acumula principalmente sobre os dentes e no interior da gengiva, causando inflamação (gengivite). A placa se mineraliza, formando o cálculo (tártaro), que já não consegue ser removido com a escovação, apenas com tratamento profissional. Conforme a doença progride, outras estruturas são lesadas, p. ex., o osso alveolar, e os dentes podem chegar a perder seu suporte, apresentando mobilidade e outras lesões mais graves.
Não deixe que a doença periodontal estrage a saúde do seu pet!

Persistência de dentes de leite

É comum, principalmente em raças de pequeno porte, como Yorkshire Terrier, Maltês, Pinscher, Lhasa Apso e Shih Tzu, a permanência de um ou vários dentes de leite após a erupção da dentição permanente. Os cães e gatos, assim como nós, apresentam durante a vida, a dentição decídua (de leite) e a permanente.
Alguns problemas podem ocorrer quando os dentes de leite não caem, como acúmulo precoce de placa bacteriana e tártaro entre os dentes e alterações na mordida do animal (maloclusão).
A extração dos dentes de leite é recomendada tão logo os dentes permanentes iniciem o processo de erupção e não haja sinal de que os de leite irão esfoliar.

Fratura dentária

Quebrar um dente pode ser um processo muito doloroso, especialmente quando há exposição da parte interna e viva do dente, a polpa. A fratura não tratada pode levar à infecção do dente e dos tecidos ao seu redor, causando abscessos dentários. O mais indicado nesses casos é o tratamento de canal e, quando não for possível, a extração do dente deve ser realizada.
Brincadeiras muito brutas e vícios de roer objetos como ossos naturais, pedras e portões podem contribuir para a ocorrência de fraturas dentárias.
Fique atento para qualquer pontinho avermelhado ou enegrecido no dente do seu pet, isso pode indicar exposição da polpa!

Neoplasias orais

Qualquer alteração de coloração ou aumento de volume deve ser acompanhado e avaliado adequadamente, uma vez que a boca está entre os locais mais frequentemente acometidos por tumores.
Quanto mais cedo for diagnosticada a enfermidade, melhor poderá ser o prognóstico e as possibilidades de tratamento.
Até mesmo dentes que não erupcionaram podem levar à ocorrência de cistos e tumores, semelhante ao que ocorre conosco em dentes do siso. Por isso é importante o acompanhamento com um dentista veterinário, que irá examinar minuciosamente a boca do animal e fazer a radiografia intra-oral sempre que necessário.

Traumas faciais

Infelizmente muitos animais sofrem traumatismos principalmente por atropelamentos, brigas e quedas de altura, e podem lesionar não apenas membros e tórax, mas também a região da cabeça. São frequentes as fraturas de mandíbula em cães e gatos, e o tratamento deve ser realizado tão logo quanto possível, especialmente para que o animal consiga se alimentar satisfatoriamente.
A doença periodontal é um dos fatores predisponentes à fratura de mandíbula, uma vez que a perda de osso ao redor dos dentes fragiliza a região. Alguns animais chegam a fraturar a boca em situações corriqueiras, como descer do sofá ou de um degrau, e até mesmo durante a administração de um remédio!

Lesão de reabsorção dentária (em gatos)

Esta lesão assemelha-se clinicamente à cárie, embora a etiologia seja diferente. Ocorre destruição do dente, geralmente com início na região da gengiva, progredindo até a polpa, no interior do dente. Por isso são lesões dolorosas, e muitas vezes a gengiva recobre a lesão.
Sinais clínicos mais frequentes: dificuldade para se alimentar e ingerir água (alguns animais chegam a gritar), apetite seletivo, ranger de dentes e perda de peso.
O tratamento de eleição é a extração do dente. Apesar das tentativas de tratamentos restauradores, ainda não há alternativas que impeçam a lesão de progredir.

Complexo gengivite-estomatite-faringite (em gatos)

Os gatos podem apresentar inflamação generalizada dos tecidos moles da boca, incluindo gengiva, língua, palato, bochecha e a região de transição entre boca e garganta. Como consequência, há sangramento e muita dor para o animal se alimentar, e alguns chegam a perder muito peso e parar de se alimentar.
Estes animais apresentam maior sensibilidade à placa bacteriana que se forma especialmente sobre os dentes.
O tratamento mais recomendado é a extração de praticamente todos os dentes, sendo fundamental avaliar cada caso individualmente, uma vez que doenças específicas podem influenciar na resposta ao tratamento.

Doenças orais em animais silvestres

Sim, eles também tem dor de dente!
As doenças comumente observadas em cães e gatos também podem ser encontradas em outras espécies, em maior ou menor proporção. Fraturas e desgastes dentários são frequentemente diagnosticados, especialmente em animais de cativeiro, que podem morder grades e gaiolas, ainda mais em situações de estresse. Abscessos e fístulas na face são muito observados, geralmente decorrentes das fraturas dentárias, e muitas vezes acabam sendo o único sinal observado nestes animais, pela dificuldade de manipulação da boca sem sedacão. A doença periodontal também é frequente, especialmente em animais de cativeiro.

Pontas dentárias e maloclusão (em coelhos, chinchilas e porquinhos-da-índia)

Estes pequenos pets têm suas peculiaridades, e a boca é, sem dúvida, uma delas. Seus dentes apresentam crescimento contínuo, durante toda a vida.
Caso estes animais não realizem o desgaste natural e ideal dos dentes, seu crescimento pode levar a problemas de oclusão e formação de pontas dentárias, que agridem e lesam língua e bochechas, levando o animal à inapetência, salivação excessiva, perda de peso, podendo chegar a óbito.
O desgaste e remoção das pontas dentárias devem ser feitos periodicamente e sua alimentação adaptada para promover abrasão dos dentes.

 

Agende uma consultaEncaminhe um paciente

barra vesp
barra vesp

Responsável pelo atendimento

barra vesp

Conheça nossas especialidades: