Unidade Campinas: (19) 2515-3600 | Unidade Vinhedo: (19) 3876-1494 | Unidade Sorocaba: (15) 3357-6329

Há algum tempo preparamos um material sobre cirurgia de catarata em cães: http://vesp.com.br/cirurgia-de-catarata-em-caes/.
Desde então, temos recebido inúmeros contatos de pessoas com dúvidas sobre o procedimento. Quando se fala de catarata em cães há muita desinformação, muitos mitos e certamente muita preocupação por parte dos responsáveis dos pets. Para tentar esclarecer algumas questões importantes separamos algumas dúvidas frequentes:

O que é a catarata?

A catarata é a opacidade do cristalino, lente que fica dentro do olho. Essa lente deve ser transparente, mas, por algum motivo (genético, senil, diabetes, traumático), torna-se esbranquiçada, o que impede a passagem de luz para dentro do olho e dificulta a visão.

Os olhos de meu cão estão esbranquiçados ou acinzentados. Ele tem catarata?

Ele pode ter catarata, mas existe também a possibilidade do diagnóstico não ser este. O olho esbranquiçado que as pessoas normalmente já deduzem ser catarata, pode ser um simples envelhecimento natural da lente, ou outras doenças como glaucoma, uveíte. Por isso, é necessária uma consulta de avaliação para fecharmos um diagnóstico e prescrevermos o melhor tratamento para cada caso, seja ele clínico ou cirúrgico.

Quais raças tem maior tendência a desenvolver a catarata? Quais as principais causas?

A catarata é muito comum nas raças Poodle, Cocker Spaniel Inglês, Schnauzer Miniatura e Golden Retriever, mas também pode ocorrer em qualquer outra raça. As causas mais comuns são a hereditária (a partir dos 2 anos) e a senil (após 9 ou 10 anos de idade).

Meu cão pode fazer a cirurgia?

É importante ter em mente que antes de indicarmos a cirurgia, todos os pacientes devem passar por uma consulta para avaliar os olhos e checar se não existe nenhuma doença ocular concomitante.

Então solicitamos dois exames que avaliam a retina, que também são realizados aqui na VESP: ultrassom ocular, realizado pela Dra. Renata Squarzoni e o eletrorretinograma, realizado pelo Dr. Ricardo Lisak. A facoemulsificação só é indicada quando a retina está sem alterações. De nada adianta operar a catarata de um olho que tem, por exemplo, um descolamento ou atrofia de retina (retina é a parte nervosa do olho, que recebe a luz e manda as informações ao cérebro, para que o cão possa enxergar). Podemos retirar a catarata, mas esse cão, não vai enxergar mesmo assim, pois tem outra doença ocular que impossibilita a visão.

Poodles e Cockers Spaniels têm predisposição genética tanto para catarata quanto para a atrofia hereditária da retina. Se o cão apresentar as duas doenças ao mesmo tempo (o que não é incomum), não pode ser operado da catarata pois a retina não funciona. Por esse motivo, antes de iniciar a preparação para o procedimento cirúrgico, necessitamos avaliar o paciente.

Qual o valor da consulta de avaliação? E qual o valor dos exames oftálmicos? Quais as formas de pagamento?

Para informações sobre valores, pedimos que entre em contato conosco. Entre em contato

Que exames meu cão precisa fazer antes da cirurgia?

Além do ultrassom ocular e do eletrorretinograma, o paciente precisa fazer um check up completo antes da cirurgia, o que envolve exames de coração e de sangue, bem como a medida da pressão arterial. Isto porque a cirurgia de catarata só pode ser realizada com anestesia geral. Para que a segurança anestésica seja a maior possível, este check up do paciente é necessário. Trabalhamos então em conjunto com o veterinário (clínico geral) que já acompanha o paciente para decidirmos que exames cada cão precisa fazer, de acordo com a idade, porte, raça, estado de saúde, histórico de outras doenças, etc.

Cães idosos podem realizar a cirurgia?

Não é a idade do paciente que vai determinar se ele está apto ou não para o procedimento e, sim, o resultado de seus exames. A cirurgia de catarata é realizada com anestesia geral e toda anestesia tem risco, porém essa especialidade também evoluiu muito nas últimas décadas, possibilitando a anestesia de cães de qualquer idade. Para que a segurança anestésica seja a maior possível, um check up completo deve ser realizado antes da cirurgia.

Meu cão é cardiopata. Ele pode fazer a cirurgia?

Ele precisará ser avaliado antes. Na VESP possuímos atendimento especializado em cardiologia veterinária à disposição do seu cão.

Meu cão tem diabetes (ou outra endocrinopatia). Ele pode fazer a facoemulsificação?

Diabetes e catarata estão comumente associadas. Cães diabéticos podem, sim, serem submetidos à facoemulsificação. Há, entretanto, algumas diferenças no pré operatório, durante a cirurgia e no pós operatório. No pré operatório, ele precisará fazer uma avaliação com um endócrino, a fim de nos certificarmos de que a diabetes do paciente está controlada. Na VESP possuímos atendimento em endocrinologia veterinária à disposição de seu cão. A cirurgia só é feita se os exames pré-operatórios estiverem ok: hemograma completo, função renal e hepática, glicose, pressão arterial e ecocardiograma. Na cirurgia, o protocolo anestésico é diferente para o cão diabético e a glicemia é monitorada durante toda a cirurgia. Nosso anestesista está treinado e muito acostumado a anestesiar cães diabéticos para este tipo de procedimento. Já no pós operatório é necessário um controle mais rigoroso e acompanhamento conjunto com o clínico geral ou endocrinologista, pois a medicação utilizada pode alterar a ação da insulina.

Quanto custa uma cirurgia de catarata?

Antes de definirmos o valor da cirurgia para o seu pet é necessária uma avaliação completa do animal. Esta precificação depende de vários fatores como, por exemplo, a colocação ou não de lente intra-ocular, se será necessário o uso de medicamentos especiais na cirurgia, se vai ser operado um ou dois olhos e, inclusive, se o seu caso é cirúrgico ou não.

Vocês realizam o procedimento gratuitamente?

Nossa clínica é particular e o custo de nossa estrutura infelizmente não permite que realizemos procedimentos gratuitos.

Não tenho como pagar a cirurgia agora. O que devo fazer?

Independente de você optar por fazer ou não o precedimento, é importante que seu pet seja devidamente avaliado. Como citamos anteriormente, o caso pode não ser cirúrgico e os sintomas que são normalmente atribuídos a catarata podem ser sintomas de outras doenças, que podem ser curadas ou controladas sem intervenção cirúrgica. Por isso é extremamente importante que o animal seja devidamente avaliado.

Ainda que seja diagnosticada a catarata e você não possa arcar com a cirurgia no momento, é essencial que o paciente receba o devido acompanhamento por um profissional especializado. Deixar o animal sem acompanhamento algum pode anular as chances de uma cirurgia no futuro. Há estudos que indicam claramente as diferenças entre pacientes que tomaram medidas paliativas e de controle e pacientes que não foram acompanhados.

Já cotei com outras clínicas e gostaria de saber se na VESP não é mais barato…

Realmente não temos como passar valores do procedimento sem antes fazer uma cuidadosa avaliação do paciente. Os valores que praticamos na VESP não diferem significativamente dos praticados em outras clínicas veterinárias de excelência. O mais importante é que você leve em conta a confiança na equipe que realizará a avaliação, o procedimento e o acompanhamento do seu cão.

Como é o pós-operatório da facoemulsificação?

Fazemos todo o acompanhamento pós-operatório do paciente. O acompanhamento inicial é feito em 48 horas, depois em 3 dias, depois em 5 e assim sucessivamente, desde que evolua como esperado. Geralmente esse acompanhamento pós é realizado durante dois ou três meses, após semestralmente. Todos os retornos do primeiro mês estão inclusos no valor da cirurgia. Após, será cobrado uma nova consulta a cada mês.

Resido em outra cidade. Como posso fazer para que meu cão seja avaliado e faça a cirurgia na VESP?

Podemos optar por fazer a avaliação, os exames pré-operatórios e o procedimento cirúrgico aqui normalmente e fazer o pós-operatório com o oftalmologista de sua cidade. Podemos tentar indicar um profissional em sua cidade (ou mais próximo dela) para fazer o acompanhamento pós-operatório.
O ideal é que o veterinário do seu cão encaminhe o paciente à VESP para que nossa equipe de oftalmologia veterinária possa realizar a avaliação oftalmológica, discutir com o veterinário quais os exames necessários e qual a forma mais prática de precedermos.

Por que preferir a facoemulsificação ao invés da facectomia extra-capsular?

A facoemulsificação, técnica que utilizamos aqui na VESP, é uma técnica bastante avançada e bem menos invasiva. A incisão, ou abertura cirúrgica é bem menor, cerca de 3,2 milímetros, portanto a inflamação que ocorre no pós-operatório é muito menor e a recuperação é muito mais rápida. Além disso, é feito todo o acompanhamento pós-operatório do paciente e o primeiro mês de pós-operatório já tem seus custos inclusos no valor da cirurgia.

Ainda tenho dúvidas…

Recomendamos que você agende uma consulta de avaliação para seu cão. Nela, nossa equipe de oftalmologia veterinária poderá avaliá-lo corretamente e esclarecer pessoalmente suas dúvidas.

Você poderá agendar uma consulta ou procurar uma de nossas unidades de atendimento. Veja aqui nossos contatos e endereços: Entre em contato

Se você e seu veterinário decidirem que chegou a hora do seu cão ser submetido à cirurgia de catarata, lembrem-se que vocês podem contar com os profissionais da VESP. Podem nos procurar para a realização da cirurgia ou de quaisquer dos exames pré-operatórios.

Agende uma consultaEncaminhe um paciente

Outros artigos sobre Oftalmologia Veterinária:

Glaucoma: porque o olho do meu pet está vermelho?

Como falamos no artigo anterior, olho vermelho é uma queixa muito comum entre os proprietários de pets (cães e gatos) e não pode ser ignorado. Outra das principais causas do olho vermelho é o Glaucoma. Anteriormente descrito como elevação da...

Cirurgia de catarata em cães

Quem tem um cão com catarata, com certeza já ouviu alguém (amigo, parente ou, até mesmo, médico veterinário) dizer que o animal já está muito velho para operar, que não vai aguentar a anestesia, que a cirurgia não funciona e que não vale a pena. Muitos, infelizmente,...