Unidade Campinas: (19) 2515-3600 | Unidade Vinhedo: (19) 3876-1494 | Unidade Sorocaba: (15) 3357-6329

A hipertensão arterial sistêmica, tão comum nos seres humanos, também pode acometer os cães e gatos. Normalmente nos animais é causada por doenças em outros sistemas, como doença renal e algumas doenças hormonais, como o hiperadrenocorticismo, uma doença da glândula adrenal, responsável pela produção de cortisol no organismo, e o hipertireoidismo, que resulta na produção excessiva de hormônios tireoideanos.

Pessoas com hipertensão podem sentir dor de cabeça, náusea, tontura. Os animais provavelmente sentem as mesmas coisas, mas é muito difícil determinar esses tipos de manifestações.

Manifestações mais graves, como perda de visão repentina, alterações neurológicas, hipertrofia do músculo cardíaco e até mesmo insuficiência renal podem ser consequência da hipertensão. Os animais que apresentam essas alterações provavelmente já sofrem de hipertensão há algum tempo, porém pode ser a primeira manifestação perceptível da hipertensão.

O diagnóstico precoce desta condição é fundamental para evitar sequelas graves causadas pelo aumento da pressão arterial. Portanto, a melhor maneira de saber se o seu cão ou gato tem hipertensão é medindo a pressão arterial. Este procedimento é rápido, indolor e muito parecido com a maneira como é realizado nas pessoas, com a diferença de que, em vez do estetoscópio, um aparelho Doppler é utilizado para amplificar o som do pulso arterial. A determinação da pressão arterial periódica é indicada nos animais idosos e principalmente naqueles que sofrem de doenças renais e hormonais.

 

Se você e seu veterinário decidirem que chegou a hora do seu pet ser submetido a um exame ou atendimento especializado, lembrem-se que vocês podem contar com os profissionais da VESP. Podem nos procurar para a realização unicamente de exames ou para consultas clínicas com atendimento especializado em cardiologia e endocrinologia veterinária ou outras especialidades.
Agende uma consulta Encaminhe um paciente

 

Outros artigos sobre Cardiologia Veterinária:

Arritmias cardíacas no paciente geriátrico

Afinal, meu cão ou gato já é idoso? O processo de envelhecimento pode ser definido como uma redução progressiva na habilidade do organismo atender à demanda do ambiente. Todavia, a definição de paciente geriátrico é bastante relativa, uma vez que há diferenças na...

Remédios para o coração: por que tantos?

Vários dilemas, muitas vezes, passam pela cabeça de quem tem um cão com problema cardíaco: não é muito remédio? Não vai fazer mal? Precisa mesmo de tantos? Infelizmente todas as respostas, na maioria das vezes, levam à conclusão de que cães...

Cardiopatias em felinos

A população de felinos vem apresentando crescimento constante nos domicílios das grandes cidades. Com o aumento dessa popularidade, temos experimentado um avanço considerável na preocupação com as necessidades e manejo adequados para que...

Língua roxa: é problema de coração?

Muitas pessoas já passaram pela seguinte situação: num passeio rotineiro percebem que a língua do seu cão começa a ficar escura e arroxeada. Damos a isso o nome de cianose e pode acometer não só a língua, mas mucosas dos olhos, boca e órgãos...

Cuidados com o coração do cão idoso

Assim como os seres humanos, os cães também apresentam uma série de modificações em seu organismo com o passar da idade. Infelizmente, nossos companheiros envelhecem muito mais rapidamente e precisam de cuidados especiais nessa fase da vida....