Unidade Campinas: (19) 2515-3600 | Unidade Vinhedo: (19) 3876-1494 | Unidade Sorocaba: (15) 3357-6329

No exame do trato urnário é necessario fazer uma avaliação clínica e laboratorial completa.

O primeiro passo é avaliação clínica do animal por meio da realização do exame físico geral. Durante o exame físico geral do animal nefropata podem ser encontradas algumas alterações significativas como palidez de mucosas, desidratação e aumento da pressão arterial. No entanto, a ausência de alterações não descarta a realização de exames laboratoriais e mesmo exames físicos normais pode ser úteis mais tarde, como uma linha de base de comparação.

O exame recomendado na primeira avaliação laboratorial do trato urinário é a urinálise. A urinálise é um teste laboratorial simples, não invasivo e de baixo custo que pode rapidamente fornecer valiosas informações a respeito do trato urinário e de outros sistemas corporais. Uma avaliação urinária completa (incluindo análise de tiras reagentes, densidade específica e exame do sedimento urinário) deve ser realizada, mesmo que um dos componentes não mostre anormalidades. A avaliação do sedimento pode alertar aos clínicos importantes problemas quando o paciente ainda se encontra assintomático. Além disso, a precoce detecção de algumas doenças pode conduzir a uma melhor sobrevida. Combinando a urinálise com a avaliação bioquímica, histórico e exame físico do paciente, várias patologias podem ser incluídas ou excluídas do diagnóstico diferencial.

Na parte de bioquímica sérica, os dois principais exames utilizados são a concentração de ureia e creatinina. A creatinina é uma substância produzida pelos músculos do corpo e eliminada pelos rins. Por isso, quando ocorre uma diminuição na filtração dos rins, haverá um aumento dos níveis de creatinina no sangue. A ureia é uma substância produzida pelo fígado a partir da metabolização de proteínas da nossa dieta. A ureia também é eliminada pelos rins, portanto, uma elevação nos seus níveis pode significar que os rins não estão funcionando adequadamente.

Dentre os exames de imagem a ultrassonografia abdominal é o mais usado. O ultrassom de rins e vias urinárias é um exame extremamente valioso na avaliação renal. Nele é possível medir o tamanho dos rins, avaliar se existem cálculos, cistos ou dilatações do canal urinário, entre outros.

Caso seja confirmada a presença de insuficiência renal outros testes com hemograma, concentração de eletrólitos (cálcio, fósforo, sódio e potássio) e dosagem hormonal (paratormônio e Calcitriol) também podem ser solicitados pelo veterinário especializado com o objetivo de determinar a severidade do quadro e instituir o protocolo de tratamento adequado para o animal.

nefrologia veterinária campinas vinhedo Lilian Stefanoni Ferreira Blumer

Autora do texto:

Profa. Mestre Lilian Stefanoni Ferreira Blumer

 

 

Se você e seu veterinário decidirem que seu pet precisa de um acompanhamento especializado em nefrologia e urologia veterinária, lembrem-se que vocês podem contar com os profissionais da VESP.
Agende uma consulta ou exameEncaminhe um paciente

 

 

Outros artigos sobre Nefrologia Veterinária:

O que é insuficiência renal (nefrologia veterinária)

A insuficiência renal é um diagnóstico que expressa uma perda maior ou menor da função renal. Qualquer desvio funcional, de qualquer uma das funções renais, caracteriza um estado de insuficiência renal. Mas, somente a análise dessas funções nos permite afirmar que há...

Doença Renal Crônica (nefrologia veterinária)

A doença renal crônica é definida como enfermidade renal que está presente de meses a anos. Os termos doença renal crônica (DRC) e insuficiência renal crônica (IRC) se referem à mesma condição. Há muitas causas diferentes de DRC, contudo, no momento que o animal...