Unidade Campinas: (19) 2515-3600 | Unidade Vinhedo: (19) 3876-1494 | Unidade Sorocaba: (15) 3357-6329

Reabilitação de pacientes com distúrbios ortopédicos: Artrose

Os cães e gatos geriátricos podem apresentar muitas doenças ortopédicas que afetam a sua qualidade de vida, sendo a mais comum a Artropatia Degenerativa ou Osteoartrose (OA), ou simplesmente Artrose, uma doença que, até bem pouco tempo, parecia ser exclusiva do ser humano. O envelhecimento resulta em alterações degenerativas na cartilagem articular e é uma das principais causas de Osteoartrose em animais de companhia.

Na Osteoartrose (OA), a cartilagem perde sua capacidade de absorver e distribuir as forças impostas às articulações e se torna sede de lesões. As articulações mais acometidas são:
– Coxofemoral
– Coluna Vertebral
– Joelho
– Cotovelo

Clinicamente, a doença se caracteriza por dor na articulação e sua consequente disfunção. Cerca de 20% dos animais idosos apresentam sinais de OA. Animais com artropatia degenerativa, antes alegres e brincalhões, se mostram relutantes a andar, levantar-se, brincar, correr, subir em sofás, escadas, enfim, desenvolver as atividades que lhes são tão simples, mantendo-se tristes, quietos e arredios.

Não podemos esquecer que a Artrose é uma doença de caráter crônico e que, por isso, o paciente não ficará curado completamente, sendo que todo tipo de tratamento terá como finalidade controlar a dor, melhorando a qualidade de vida do animal.

O diagnóstico da artrose se faz através do histórico do animal (dor ao movimentar-se), exame das articulações e radiografias. Atualmente, existem tratamentos que atenuam os sintomas. Além da terapia com medicamentos que visam amenizar a dor e regenerar a cartilagem articular, a fisioterapia também é um recurso que pode ser usado com sucesso em casos de osteoartrose. O tratamento desta patologia costuma ser difícil. Em primeiro lugar, é imprescindível um regime alimentar equilibrado, a fim de eliminar o excesso de peso do animal. Também é indispensável o exercício cotidiano, que deve ser progressivo e suave para preservar as estruturas já danificadas pela doença. Por último, na medida do possível, o cão deve ficar protegido do frio e da umidade. Em alguns casos, pode-se recorrer a uma intervenção cirúrgica, ou para tirar os esteófitos da articulação, ou para introduzir uma substância viscoelástica que a lubrifique, ou ainda para fazer uma prótese total, que irá substituir a área que já não funciona.

De maneira geral, o tratamento menos invasivo e com ótimo resultado no controle da dor, fortalecimento da musculatura, melhorando a qualidade de vida e bem estar animal tem sido a fisioterapia com uso de agentes físicos (laser, eletro, magneto, fototerapia) + hidroesteira, que promove exercícios controlados com baixo impacto nas articulações.

Na VESP Especilaidades Veterinárias possuímos atendimento fisioterápico especializado para cães e gatos. Se você tem um paciente que precisa ou virá a precisar deste tipo de tratamento, você pode entrar em contato com a VESP Especialidades Veterinárias e encaminhar o paciente.

Agende uma consultaEncaminhe um paciente

Outros artigos sobre Fisioterapia Veterinária:

Aplicações da Fisioterapia Veterinária: Luxação de Patela

Reabilitação de pacientes com distúrbios ortopédicos: Luxação de Patela A patela é um osso sesámóide que em humanos é mais conhecido como rótula. Uma fenda na parte inferior do fêmur (côndilos) permite que a patela deslize de cima para baixo...